sexta-feira , 23 fevereiro 2024
Home / Notícias / Educação de Chapecó participa de seminário sobre autismo
Foto: PMC

Educação de Chapecó participa de seminário sobre autismo

A secretaria municipal de educação, representada pela gerente de Educação Especial, Jucilei Perin, participou, nos dias 15 e 16 de Março, em Treze Tílias-SC, do Seminário Estadual “Autismo nos diferentes contextos da vida”. O evento teve como objetivo aproximar cada vez mais os gestores públicos da saúde, educação e assistência social do debate sobre o transtorno do espectro autista (TEA) e as políticas públicas necessárias.

O seminário foi realizado pela Federação de Consórcios, Associações e Municípios de Santa Catarina (FECAM), com o apoio da Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense (AMMOC) e da Prefeitura de Treze Tílias. Participaram do evento, mais de 500 participantes de 106 municípios catarinenses.

A secretária de educação do município de Chapecó, destacou a importância da participação em virtude da relevância do tema. “É preciso estar em constante estudo para prestar um bom atendimento aos estudantes com autismo. É por meio do conhecimento que iremos adequar nosso trabalho de acordo com as especificidades dentro do espectro. E neste sentido, o Seminário trouxe boas reflexões e troca de experiências para nossa equipe”, disse a secretária.

 

A prefeita de Vargem e presidente da FECAM, Milena Andersen Lopes, destacou a importância de um evento sobre o autismo e frisou sobre a necessidade também de se falar sobre o autismo na vida adulta. Falou também sobre o trabalho conjunto que deve ser realizado e nas políticas públicas voltadas para acolhimento das pessoas autistas e de suas famílias. “Quero trazer o meu sentimento de responsabilidade que todos os prefeitos têm de atender às demandas da nossa população. A vida de cada catarinense, seja em qual município for, depende muito de nós”.

A presidente, com orgulho, também lembrou que a FECAM é a única federação do Brasil que possui uma área voltada para a inclusão e a acessibilidade e citou o trabalho desenvolvido por Paulo Suldóvski, assessor da área.

O prefeito de Treze Tílias, Rudi Ohlweiler, agradeceu a presença de todos e à FECAM pela realização do evento no município. Disse estar feliz com o número de pessoas e garantiu que Treze Tílias estará sempre de portas abertas para todos.

Para abrir as palestras do evento, a psicóloga Ana Carolina Wolff, especialista em autismo, falou sobre a condição e esclareceu algumas dúvidas dos participantes. “Ser autista é uma questão de identidade. O autismo não é uma doença”, afirmou.

A tarde começou com um painel sobre educação e autismo. A professora da UDESC, Cléia Demétrio Pereira, afirma que a inclusão escolar requer repensar currículo, planejamento e comunicação para assim chegar ao direito educacional. Reforçou também que a igualdade não garante a inclusão e que o correto é trabalhar com equidade.

No mesmo painel, Mônica Denzer, coordenadora da AMA de Agrolândia, contou a experiência educacional da instituição com crianças autistas. “Nós precisamos nos adequar a essas crianças e não ao contrário. A peça chave é o sentimento, nos colocarmos no lugar dos autistas e entendermos como eles se sentem para poder pensar a melhor forma de educação”, completou.

O segundo painel foi sobre o autismo na vida adulta e os desafios dessas pessoas. A médica veterinária Cynthia Hering Rinnert, compartilhou a sua trajetória e como o seu diagnóstico tardio, que veio há apenas dois anos, quando já tinha 60 anos de idade, influenciou em sua vida e em sua carreira profissional. A auditora fiscal do trabalho, Luciana Xavier Sans de Carvalho, falou sobre a sua atuação na luta pela inclusão das pessoas com deficiência e com autismo no mundo do trabalho.

Fechando o primeiro dia de evento, o painel sobre a lei estadual nº17.428/2017, que dispõe sobre a concessão de pensão especial e coloca pessoas autistas na lista daquelas que podem receber o benefício continuado.

O evento continua na quinta-feira (16), com mais quatro painéis que vão tratar sobre o apoio da família no desenvolvimento da pessoa com TEA, o autismo na perspectiva da saúde, as experiências municipalistas em relação às pessoas com TEA e o trabalho intersetorial no atendimento das políticas voltadas às pessoas com autismo.

 

Fonte: Imprensa/PMC

Sobre Daniella Schneider

Veja Também

Chapecó tem sete CRAS que atendem 40 mil famílias cadastradas na Assistência Social

Serviços de Proteção e Atendimento Integral as Famílias – PAIF, Serviço de Convivência e Fortalecimento ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.