sexta-feira , 19 abril 2024
Home / Destaque / Primeira vacina contra o câncer de mama será testada em humanos nos EUA
Crédito: Alejandro_Munoz/Shutterstock

Primeira vacina contra o câncer de mama será testada em humanos nos EUA

Uma vacina contra o câncer de mama está se tornando realidade. Recentemente, a Clínica Cleveland anunciou que está lançando um primeiro teste em humanos da vacina projetada para prevenir o câncer de mama triplo-negativo, que atualmente não responde a terapias hormonais ou medicamentos direcionados, ou seja, só pode ser prevenido com mastectomia.

Até este momento, o desenvolvimento de vacinas contra o câncer de mama é limitado ao trabalho de laboratório e pesquisa em animais. Portanto, o teste em humanos pode começar agora que a Food and Drug Administration dos EUA aprovou um novo pedido de medicamento experimental.

Por mais que o ensaio só inclua mulheres sobreviventes de câncer de mama triplo-negativo em estágio inicial, os pesquisadores esperam levar a vacina para pessoas saudáveis ​​com alto risco para a doença.

“Em longo prazo, esperamos que esta possa ser uma verdadeira vacina preventiva a ser administrada a mulheres saudáveis ​​para evitar que desenvolvam câncer de mama triplo-negativo, a forma de câncer de mama para a qual temos os tratamentos menos eficazes”, explicou o Dr. Thomas Budd, em um comunicado para a imprensa.

Infelizmente, o câncer de mama triplo-negativo é responsável por cerca de 12% a 15% de todos os cânceres de mama e mata quase um quarto das pacientes em cinco anos após o diagnóstico.

A presença da proteína chamada α-lactalbumina, geralmente acompanha a doença e a vacina terá como alvo justamente essa proteína, fazendo com que o sistema imunológico evite tumores de mama emergentes. Com isso, a injeção terá uma droga que alerta o sistema imunológico para a-lactabalbumina, de modo que ela possa interromper o crescimento do tumor.

Para isso, a análise incluirá de 18 a 24 pacientes sem tumor após tratamento para câncer de mama triplo-negativo em estágio inicial nos últimos três anos. Elas receberão três injeções, cada uma com intervalo de duas semanas. Os pesquisadores começarão com doses baixas em apenas algumas pacientes e as monitorarão antes de aumentar a dose.

O estudo está estimado para ser concluído em setembro de 2022 e é financiado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. “Esta estratégia de vacina tem potencial para ser aplicada a outros tipos de tumor”, concluiu Budd.

Fonte: Olhar Digital/Gabriela Bulhões

Sobre Daniella Schneider

Veja Também

MUSEU ANTONIO SELISTRE DE CAMPOS (MASC) COMPLETA 46 ANOS

O Museu Antônio Selistre de Campos (MASC) completa neste dia 19 de abril, dia dos ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.