sexta-feira , 12 julho 2024
Home / Destaque / PELO ESTADO – ENTREVISTA: Marcelo Fett, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom

PELO ESTADO – ENTREVISTA: Marcelo Fett, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação

“Santa Catarina Inovadora trata-se de um conjunto de ações com foco na melhoria da competitividade”

Marcelo Fett, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação

 

Criada no início da gestão de Jorginho Mello (PL), a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação vem buscando desenvolver um dos setores que mais cresce em Santa Catarina. Quem comanda a pasta é o secretário Marcelo Fett, que conversou com a Coluna sobre as ações desenvolvidas e desafios que vem enfrentando para dar andamento aos projetos propostos, entre eles, a reforma tributária que está em discussão atualmente no Senado.

Confira:

 

PE – O senhor esteve no último mês em Brasília, para uma conversa sobre os impactos da Reforma Tributária no setor da tecnologia. É possível destacar aqui quais seriam esses impactos?

MF – Consideramos que o texto da reforma aprovada na Câmara dos Deputados é um retrocesso para o setor de tecnologia e inovação. Como está, a previsão é de que o imposto para empresas de software, TI e internet aumente até 342%. Atualmente, as alíquotas médias pagas pelas empresas do setor são 5% (ISS ) e 3,65% (PIS/COFINS ) e como foi aprovado pelos deputados passará para uma alíquota de referência de 25% de IBS e CBS, nomes dos novos impostos previstos. Um dos setores que mais cresce em Santa Catarina e no Brasil não pode ser prejudicado pela pressa em aprovar um tema tão importante sem a devida discussão necessária em todos os segmentos impactados. Foi com essa convicção que mobilizamos lideranças de Santa Catarina e do Brasil e fomos dialogar com os senadores envolvidos com a discussão do tema.

 

PE – E quais são as sugestões de mudança no texto para que o setor não seja tão prejudicado?

MF – Tivemos audiência com os senadores catarinenses e outros parlamentares no Senado. Nossa proposta é em defesa do emprego, renda e oportunidades geradas pelas 135 mil empresas brasileiras, sendo 18 mil de Santa Catarina que empregam mais de 70 mil pessoas e faturam mais de R$ 20 bilhões por ano. Nossa proposta é rever os números dos impostos em defesa da competitividade das empresas brasileiras no cenário global. Entre os frutos desta mobilização estão as emendas dos senadores Esperidião Amin (PP) e Jorge Seif (PL) para incluir o setor entre os que têm tributação diferenciada. Elas têm todo o nosso apoio, pois modificam o artigo 9° da PEC 45/2019 e garantem ao setor até 60% de descontos nos futuros impostos IBS e CBS.

 

PE – Quais os projetos do Governo em desenvolvimento voltados ao setor de tecnologia e inovação?

MF – Em março, o Governador Jorginho Mello lançou o programa Santa Catarina Inovadora, criado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação, com algumas iniciativas em fase de implementação.

Em síntese, trata-se de um conjunto de ações articuladas em 7 pilares com foco na melhoria da competitividade: financiamento, ambiente legal, qualificação profissional, atração de investimentos, projetos estruturantes, infraestrutura de conectividade e ambientes de inovação. Para cada um desses fatores de competitividade, serão implementadas uma série de medidas nos próximos anos até 2026.

Uma das primeiras ações anunciadas e em fase de ajustes para implementação é o que chamamos de “Pronampe da Inovação”. A iniciativa é para atender as empresas estaduais do setor através de uma linha de crédito para impulsionar ainda mais a economia setorial. Como ele será incluído em uma versão estadual do Pronampe com outras áreas beneficiadas, a proposta está finalizada para encaminhamento à Assembleia Legislativa.

 

Outro exemplo destas iniciativas é o programa SCTEC, que estimula e gera oportunidades para crianças e adolescentes estarem mais perto do setor de tecnologia, um mercado promissor que apresenta crescimento em nosso estado.  A secretaria também está envolvida na reformulação do PRODEC, com o lançamento, em parceria com as secretarias da Fazenda e da Indústria, do Comércio e do Serviço, da versão PRODEC ESGi, que inclui incentivos econômicos para a indústria catarinense investir em Pesquisa e Inovação.

 

 

Pelo Estado – O senhor já comentou anteriormente que um dos pilares do Programa Santa Catarina Inovadora é o investimento em capital humano, para capacitação de mão de obra para o mercado de tecnologia e inovação. Como isso está sendo feito?

Marcelo Fett – O projeto que está em fase de desenvolvimento é o  SCTEC. A iniciativa, concebida pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação – SCTI, prevê uma jornada com diversas trilhas de aprendizagem e será implementada em parceria com a Secretaria de Educação (SED). A formação prevê capacitação de pessoas a partir de 11 anos e que moram em Santa Catarina. Este público é dividido em alunos de escolas municipais; alunos de escolas estaduais e jovens e adultos da sociedade em geral. As vagas abertas no setor de tecnologia representam uma oportunidade diante de um cenário de altas taxas de desemprego no país. Acreditamos que, ao proporcionar a formação de talentos para tecnologia, contribuímos para que as pessoas possam ocupar o grande número de vagas existentes.

 

PE – Quais foram os principais desafios da sua Secretaria nestes primeiros meses de gestão?

MF – Os principais desafios foram montar a equipe e estruturar a secretaria, que é inédita e foi criada a partir da visão do governador Jorginho Mello para dar o devido protagonismo que o setor da tecnologia merece. Foi momento de planejar ações, interagir com as outras pastas e toda sociedade civil organizada, buscar aproximação do setor produtivo para construir políticas públicas que gerem impacto positivo no desenvolvimento econômico e social a partir da inovação.

Produção e Edição: ADI/SC Jornalista Celina Sales
com colaboração de Cláudia Carpes.
Contato: peloestado@gmail.com

Sobre Daniella Schneider

Veja Também

Pré-candidatos do PSD na cola de Bolsonaro

A certeza de uma eleição bem sucedida após uma foto com o cabo eleitoral de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.