sábado , 24 fevereiro 2024
Home / Tecnologia / Em quatro meses 6,3 mil demandas foram resolvidas via Chapecó Digital
Imagem/Divulgação

Em quatro meses 6,3 mil demandas foram resolvidas via Chapecó Digital

 

Em pouco mais de quatro meses de funcionamento 6.367 demandas foram resolvidas via aplicativo Chapecó Digital, ferramenta criada pela Administração Municipal para aproximar o cidadão dos serviços públicos.

O aplicativo começou a ser testado em junho, com a capacitação dos servidores que seriam os resolvedores em cada secretaria e departamento. O lançamento oficial foi em 30 de julho.

O total de demandas recebidas até esta terça-feira foi de 8.133. Isso significa que 78% dos pedidos já foram finalizados. Apenas um não teve resolução. São 1.208 em execução, 451 em constatação e 77 pendentes. A intenção é resolver as demandas em poucos dias ou máximo num mês, dependendo da complexidade.

O maior número de pedidos é de troca de lâmpadas, que soma 3.149 pedidos, o que representa 38,7%. Depois vem a coleta de galhos, com 9,5%, superintendência da Efapi, com 9,3%, NAPA, com 6,7% e buraco na rua, com 4,7%.

Já estão cadastradas 6.162 pessoas no sistema.

De acordo com o Diretor Geral de Modernização, Clodoaldo Jorge dos Santos, o Chapecó Digital melhora a comunicação, agilizar o tempo de resposta e facilitar o acesso a serviços. Isso porque a demanda cai direto para um resolvedor.

Além de encaminhar demandas o usuário poderá acessar as notícias da Administração, Portal do Aluno, agendar vacinação, entre outros.

O Chapecó Digital pode ser baixado nos celulares, ou então pelo link https://chapeco.g2canal.com.br/#/login.

 

Fonte: PMC

Sobre Daniella Schneider

Veja Também

Moto elétrica é desenvolvida para entregadores do iFood

Modelo pode ser comprado por valor reduzido, gerando economia aos entregadores e menos poluição nas ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.